Caçapava do SulGeral

Páscoa e Quaresma: uma entrevista com o padre Rudinei Lasch

Confira mais detalhes sobre a programação na cidade, bem como, assuntos ligados ao tempo de quaresma

A semana santa, em Caçapava do Sul, trará programações como missas, procissões, bem como, outras atividades. A reportagem do jornal A Palavra e portal CaçapavaOnline, conversou com o pároco local, padre Rudinei Lasch, onde, em um bate-papo bastante explicativo, ele comentou mais sobre os detalhes da programação, e, também, abordou temas como, por exemplo, a quaresma.

O padre começou a entrevista, falando sobre quaresma e conversão. “O período da quaresma inicia na quarta-feira de cinzas, após o carnaval, para ser um tempo de caridade e de oração, onde temos a celebração das cinzas, que nós queimamos o ramo bento do domingo de ramos do ano passado. Tem-se a cinza, e, dessa cinza, nós colocamos na testa de cada pessoa que vem na igreja, para simbolizar que você é pó da terra, e, da terra você voltará, um dia, para aquele pó. É a nossa condição de finitude, diante da infinitude que é Deus. Quando colocamos (a cinza) na testa, dissemos “convertei-vos e crede no evangelho”, para a pessoa ver uma mudança de vida. A conversão é você melhorar a cada dia, como ser humano”, disse.

A seguir, o padre trata de temas ligados a semana santa. “Da quarta-feira de cinzas, até a semana santa, são quarenta dias, a quaresma. Nós, aqui, na igreja Matriz, estamos fazendo missas matinais, às 7h30min, de segunda a sexta-feira. É uma missa penitencial que nós chamamos, porque a pessoa tem que levantar mais cedo, sair de casa, as vezes é até mais friozinho um pouco, para fazer uma penitencia também, a vida nossa não é só receber as coisas de graça. Vão até a semana santa (quarta-feira) essas celebrações”, falou.

Com relação ao jejum, prática bastante típica nesse período, o padre Rudinei Lasch faz alguns apontamentos. “Eu penso que faz bem, porque o jejum ele é comprovado até cientificamente, médicos recomendam o jejum. Mas o jejum, falando no sentido espiritual, faz bem para o corpo, porque se você exagera na comida, você sabe que o corpo vai sofrer com isso, você vai ter mais dificuldades de fazer tuas atividades, vai ficar uma pessoa mais sedentária, a partir do momento em que você exagera.

Quando você faz um jejum, você está deixando de gastar com algumas coisas, por exemplo, tem gente que diz que no período da quaresma não vai beber, não vai tomar cerveja, enfim. O que você vai fazer com aquele dinheiro que não gastou? A igreja propõe que você faça uma caridade com aquele valor, que não simplesmente deixe de fazer, mas usa aquele dinheiro para ajudar alguém que precise, doe para uma instituição, para hospital, para as casas e asilos, para a igreja. Então eu vejo como uma coisa boa, que até deveríamos resgatar um pouco isso. Só que a sexta-feira santa, que era para ser um tempo de jejum, ela virou o dia em que mais se come, porque o pessoal acaba até gastando em cima disso, o consumismo acabou entrando nas nossas festas religiosas, que seria uma festa para a gente rezar, fazer um tempo de oração e penitência, o mercado do consumismo acabou entrando”, detalhou.

Ainda, o pároco disse estar com excelentes expectativas para todas as programações. “Eu tenho uma expectativa grande, boa, porque leva a religião para fora, faz com que o católico também mostre a sua cara. Temos também o tríduo pascal, uma celebração que começa na quinta e termina só no sábado, a gente não dá a benção final na quinta, nem na sexta, não inicia com “em nome do pai”, nem termina, porque sexta, Jesus morre por nós, é a morte dele na cruz, e ficamos como se estivéssemos velando Jesus, a partir da quinta-feira santa, e, só terminamos de velá-lo no sábado a noite, onde é a celebração da vida, celebração da Páscoa, mas a sexta-feira é um dia que é impressionante, ta sempre cheia a igreja, as pessoas vem para rezar, colocamos o cristo, o senhor morto lá na frente, então é o momento mais forte dentro da igreja católica e cristã, o tríduo pascal, a semana santa”, finalizou.

Por Gabriel Haag

Confira, abaixo, a programação para a semana santa, em Caçapava do Sul, a partir do dia 27, terça-feira.

 

Dia 27, terça-feira

7h30min: missa penitencial na igreja matriz;

18h: celebração eucarística na igreja matriz com confissões;

 

Dia 28, quarta-feira:

7h30min: missa matinal na igreja matriz;

17h: celebração na capela Nossa Senhora de Fátima;

 

Dia 29, quinta-feira:

18h: missa na capela de Fátima (instituição da eucaristia, cerimônia do lava-pés, e adoração ao santíssimo sacramento);

19h30min: terço mariano na igreja matriz;

20h: missa na igreja matriz (novena de Nossa Senhora Desatadora dos Nós, instituição da eucaristia, cerimônia do lava-pés, e adoração ao santíssimo sacramento);

 

Dia 30, sexta-feira:

6h: caminhada em direção a gruta Nossa Senhora de Lourdes;

8h às 12h, e, 16h às 20h: confissões na igreja matriz;

15h: procissão e celebração da paixão de cristo e adoração ao senhor na igreja matriz;

15h: procissão e celebração da paixão de cristo na capela Nossa Senhora de Fátima;

 

Dia 31, sábado:

6h: cravação do mastro e abertura da Festa do Divino Espírito Santo em frente a igreja matriz (com café matinal no salão paroquial);

19h: missa da vigília pascal com benção do fogo e da água e renovação das promessas do batismo na capela de Fátima;

20h: missa da vigília pascal com benção do fogo e da água e renovação das promessas do batismo na igreja matriz;

 

Dia 1º, domingo:

9h: missa de páscoa na capela Nossa Senhora de Fátima;

18h: missa de páscoa na igreja matriz.

Luís Carlos Machado

Jornalista MTE 18.013/RS Graduado em Marketing

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios