Caçapava do SulDestaqueGeralPolíciaRegiãoTrânsito

MP denuncia vereador, presidente de Associação e outros 10 taxistas por tentativa de homicídio

O Ministério Público apresentou, nesta terça-feira, 08, denúncia por tentativa de homicídio duplamente qualificado por dolo eventual contra o vereador de Caçapava do Sul, Jerre Alex Vargas Nunes (o Alex do Táxi), o presidente da Associação dos Taxistas da cidade, Irivelto de Jesus Machado Moreira, e os taxistas Alesson Dias Nunes, Felipe dos Santos Moreira, Mateus de Jesus Lopes Garcia, Maikon Mateus Ilha Marques, Rafael Silva Lopes, Marcelo Fernandes Leão, Mário Sérgio Chaves Marques, Jonatan Rafael Hoffmann dos Santos, Douglas Bitencourt dos Santos e Elton Alves da Silva. Conforme as investigações, eles tentaram matar, por motivo torpe e mediante emboscada, o motorista de aplicativo Oilson Ricardo Gomes Alvares, somente não se consumando o crime por circunstâncias alheias à suas vontades. Eles também são denunciados por associação criminosa. Alex do Táxi, Alesson Dias Nunes, Irivelto Moreira e Felipe dos Santos Moreira estão presos no Presídio Estadual de Caçapava do Sul.

CRIME PREMEDITADO

De acordo com a denúncia, assinada pelo promotor Diogo Taborda, o ataque a Oilson foi previamente organizado em diversas reuniões ocorridas no ponto de táxi da rodoviária entre Alex do Táxi, Irivelto Moreira e outros taxistas. Alex do Táxi foi quem dirigiu a atividade dos demais. Foi ele quem tomou a iniciativa de executar, naquele momento, a emboscada planejada contra a vítima.

No dia 11 de setembro deste ano, às 20h20, em um estacionamento de Caçapava do Sul, Oilson Alvares foi ao local para apanhar um passageiro. Menos de um minuto depois, chegam Alex do Táxi, Mateus de Jesus Lopes, Rafael Silva Lopes, Felipe dos Santos Moreira e Maikon Mateus Ilha Marques em um táxi. A câmera de vigilância do estacionamento Mateus, Rafael, Felipe e Maikon aparecem colocando máscaras no rosto. Marcelo Fernandes Leão e Douglas Bitencourt dos Santos ingressaram a pé no local e também aparecem nas imagens cobrindo o rosto. Segundos depois, chega outro veículo com Mário Sérgio Chaves Marques, que estaciona atrás do táxi. Elton Alves da Silva ingressou logo na sequência, a pé, seguido de Jonatan Rafael Hoffmann dos Santos, correndo.

ATAQUE EM CONJUNTO

Parte dos denunciados ficou na entrada da garagem para impedir que a vítima pudesse fugir do local, enquanto que Alex do Táxi, Alesson Dias Nunes (filho de Alex) foram os primeiros a abordar Oilson. Às 20h21, Alex deu uma gravata no pescoço dele e o retirou de dentro do veículo, enquanto que os demais denunciados cercaram o carro. Em seguida, Alex deu um chute na cabeça da vítima, e todos os outros passaram a agredi-la com chutes e socos, já com ela caída ao chão.

Um minuto depois, às 20h22, os denunciados começaram a sair do local, pois o responsável pela garagem gritou para que parassem e que iria chamar a Brigada Militar. Em virtude de um chute na nuca, Oilson desmaiou e voltou a si por volta de 15 minutos depois, quando o Samu chegou ao local. O motorista de aplicativo só não faleceu porque recebeu atendimento médico eficaz. Mesmo após a agressão, Oilson continuou sendo ameaçado pelos taxistas.

O Ministério Público entendeu que o crime ocorreu por motivo torpe, visto que os denunciados, na condição de taxistas, objetivavam intimidar, ameaçar e impedir que o serviço de Uber fosse prestado na cidade. Também agiram de emboscada, pois organizavam havia dias a estratégia. Nesse sentido, Alesson Dias Nunes foi quem adquiriu parte das toucas ninja utilizadas. Três delas foram apreendidas na residência de Irivelto Moreira e Felipe dos Santos Moreira. Outra touca e três máscaras foram encontradas na residência de uma familiar de Alesson Dias Nunes.

 

Fonte: https://www.mprs.mp.br

Luís Carlos Machado

Jornalista MTE 18.013/RS Graduado em Marketing

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios