Caçapava do SulDestaque

Interditado prédio da prefeitura de Caçapava do Sul

Bombeiros advertem pelo “Iminente de risco à vida ou à integridade física dos usuários ou ao funcionamento da edificação”

Após a constatação do desabamento de parte do teto da prefeitura de Caçapava do Sul na manhã da terça-feira, 10/04, o prédio localizado na 15 de Novembro foi interditado hoje, 11/04, pelo Corpo de Bombeiros. Além desta parte da prefeitura o prédio construído a cerca de 10 anos também foi interditado em razão do comprometimento da estrutura. Com o desabamento desta semana um buraco se formou sobre a sala da Coordenadoria de Comunicação que deve ser remanejada para o prédio da Secretaria Geral de forma emergencial.

O prefeito Giovani Amestoy concedeu entrevista coletiva às 16 horas onde falou sobre as ações que serão tomadas em razão dos problemas na estrutura física do prédio que afetam, inclusive, o gabinete do prefeito.

Confira a nota da Prefeitura de Caçapava do Sul:

O prédio da Prefeitura, onde ficam alocadas as salas do gabinete do prefeito e vice, sala de imprensa, controle interno, jurídico, Fasm e Arquivo foi interditado nesta quarta-feira (11) pelo Corpo de Bombeiros. O motivo foi após queda de parte da estrutura, ocorrida no último domingo (08).

De acordo com o Auto de Interdição de Área de Edificação dos Bombeiros se deu por “Iminente de risco à vida ou à integridade física dos usuários ou ao funcionamento da edificação”. Na descrição assinada pelos Bombeiros diz ainda: Telhado com telhas e estrutura de madeira desabou, foi interditado também o lado oposto, após vistoria in loco e constatações de risco de desabamento total. A evacuação de pessoal ocorreu às 15h”.

O prédio frontal, onde desabou parte do telhado, é uma das três alas do centro Administrativo. No mesmo terreno há ainda outro prédio (nos fundos) que abriga as Secretarias de Saúde, Planejamento e Administração.

Anexo a eles, e interligando os prédios da frente e dos fundos, há um setor com 2 andares que fora construído na década de 80 para alocar as demais secretarias que funcionam em prédios alugados (Obras, Fazenda, Assistência Social, Turismo e Agropecuária). O anexo que foi interditado no fim da década de 90 pelo Ministério Público, e que servia de passagem desde então interligadno as Secretarias, sofreu nova interdição, desta vez pelos engenheiros da Secretaria de Planejamento do município, devido a quedas de estruturas e rachaduras, informou Marcelo Silva, servidor lotado como engenheiro da Secretaria.

Na Semana retrasada quando esteve em Brasília, o prefeito Giovani Amestoy e o secretário de Planejamento e Meio Ambiente, Flávio Monteiro, levaram um projeto de pedido de reforma para tentar, junto a Deputados Federais e Ministérios, verba para reforma a construção de um novo prédio Administrativo, “haja vista que o atual apresenta há anos inúmeros problemas de infraestrutura, falta de acessibilidade e goteiras em todas as salas, incluindo gabinete do prefeito”, lembrou Monteiro. Em avaliação realizada pelo Planejamento, quando da interdição do prédio anexo em 2017, somente a reforma desta significaria um investimento de mais de R$700mil.

O prefeito Giovani Amestoy falou em coletiva de imprensa nesta quarta-feira de sua preocupação em recuperar o prédio da Prefeitura, mas que devido a falta de recursos e prioridades em outras áreas, como educação, saúde e infraestrutura, o Executivo busca recursos oriundos de emendas para construir um novo Centro Administrativo.

“Nós investimos recursos próprios na Educação, como, por exemplo, na reforma da EMEI Pedacinho de Gente, que também é da Prefeitura e que estava alocada em um prédio antigo e com problemas estruturais como o nosso. Estamos fazendo desde o ano passado adequação em todos os PPCIS das escolas municipais para que não sejam interditadas, além da retomada da Creche da Vila Henriques, que deve custar mais de R$500 mil”, disse o prefeito.

Amestoy também falou sobre o investimento em recuperação da Lima e Silva, cujo anúncio foi feito no início do ano, e do aumento no repasse ao Hospital de Caridade Dr. Victor Lang: “Gestão Pública é escolher prioridades. Sabemos da importância e necessidade urgente do prédio da Prefeitura, pois convivemos diariamente com o problema, mas priorizamos por reformar os PPCIS das escolas e buscar dar acesso aos moradores da região Sul com a Lima e Silva, por exemplo. Agora estamos em busca de alternativas para reforma do prédio ou construção do Centro Administrativo, que contemple todas as secretarias e que tenha acessibilidade para todos, de acordo com normas e leis exigidas aos prédios públicos”, completou o prefeito, que estava acompanhado ainda do Engenheiro Marcelo Silva, na coletiva.

Foto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Caçapava do Sul
Foto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Caçapava do Sul
Foto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Caçapava do Sul

 

Em breve mais informações.

Parte do telhado da prefeitura desaba sobre o forro

Deixe uma resposta

Fechar