Colunistas

Caranguejo, Bodas de Prata, Bússola, Meia Boca, Tachões, Catadores, Tá na cara, Prof. Raimundo…

A Palavra do Machado é um resumo da Sessão Legislativa de Caçapava do Sul, comentado pelo diretor dos jornais A Palavra e CaçapavaOnline

CARANGUEJO – Quem conhece o Tonho, sabe do que eu estou falando. Pode faltar vereador na sessão, mas o Tonho não falta. O “subprefeito da Promorar” levou ao conhecimento dos vereadores que desta vez estão roubando a tela que cerca o campo de futebol. Na verdade o problema é bem maior que isso, pois, passados vários anos do início da obra, a comunidade vê a estrutura, adquirida com recursos públicos, se deteriorando dia após dia sem poder usufruir de fato. O vereador Boca (PT) lembrou que foram investidos R$ 390 mil e o local ainda é subaproveitado. A obra tem ritmo de um caranguejo: está andando para trás.
BODAS DE PRATA – Na sessão desta terça-feira, 02 de abril, José Irineu Costa Marques completou 25 anos de trabalho como assessor parlamentar na Câmara de Vereadores de Caçapava do Sul. Irineu, que é sepeense, e trabalhou com os vereadores já falecidos José Dias, Araci Tolfo, Aneci Guterres, assim como ex-vereadores que estão vivos: João Carlos Maciel, Antônio Dias de Almeida, Carlos Carvalho, Naldo Pereira, Paulo Nicola, José Luiz Oliveira, Raul Pinto Torres, Ivan Pessoa Moreira, Nestor Silveira, Ilson Tondo e 3 mandatos com o vereador Pedro Gaspar. Atualmente assessora, por quatro mandatos consecutivos, o vereador do PP, José Sidinei Menezes – Pirola.
BÚSSOLA – Em alto e bom som Ricardo Rosso (PP) leu em plenário um cronograma de atividades que a Secretaria de Obras deve realizar nos próximos 30 dias, em prazo estipulado pela própria S.O. Caio Casanova (SD) pegou o grito: “antigamente era o Paulinho que dava o relatório”. Ele disse ainda que se a S.O. conseguir realizar o cronograma vai ser a melhor fase da secretaria neste governo. Já o vereador Boca (PT) lembrou que têm pilhas de cascalho desde o ano passado esperando a patrola chegar.
MEIA BOCA – Mariano Teixeira (PP) também foi bem direto dizendo que do jeito que estão fazendo o trabalho: “Farão em 15 dias e não em 30. Estão fazendo pela metade! Vão lá, fazem pela metade a estrada e tiram foto pra enganar a comunidade. Criaram até o bairro “Retaxerxes”, que eu saiba é uma rua e não um bairro”, disse.
TACHÕES OU QUEBRA-MOLAS – Depois de muita discussão se pode ou não pode a prefeitura intervir na Av. Lima e Silva sem que a empresa entregue oficialmente a obra, surgiu a informação de que o Executivo quer instalar “tachões” na via como forma de forçar a redução de velocidade em três pontos da avenida. Mariano não gostou da ideia e disse que quer saber quanto isso vai custar aos cofres públicos. “Por que vão gastar com os tachões se depois terão de retirar? Que façam de uma vez os quebra-molas”.
CATADORES – Pequeno atrito entre Rosso e Paulinho, onde um se achou desrespeitado pelo outro, teve origem na afirmação de Rosso que a atual administração não está colaborando com os catadores e a coleta seletiva em Caçapava do Sul. Rosso lembrou que noutros tempos os catadores tinham um ônibus e uniformes. O material era prensado e vendido por um preço melhor, mas a atual gestão não deu sequência no projeto.
BUSÃO – Paulinho argumentou dizendo que foi na gestão Erli Vargas, que teve início o projeto envolvendo os catadores, e que a atual administração recebeu o ônibus sem condições de uso. E é descabido o vereador falar sobre o ônibus que circulava todo irregular. CAÇAMBA – Silvio Tondo (PP) foi prático e disse que não se pode ficar quatro anos discutindo sobre o ônibus. “Por que não pega uma caçamba e faz o trabalho? Tem vários grupos que fazem ações e o que não age é o município. Alguns dos senhores sabem informar qual ação é realizada pelo município sobre isso?”
TÁ NA CARA – O próprio nome do lugar já dá a entender porque é tão difícil mantê-lo asseado: Fonte do Mato. Lá é a “fonte do mato” e por isso não vai ser fácil mantê-lo capinado como um cartão postal de Caçapava do Sul. Ainda mais, com a equipe de capina em número reduzido.
PROFESSOR RAIMUNDO – Para o presidente da Casa, Sílvio Tondo, alguém da prefeitura faltou às aulas de matemática. Conforme foi informado, os funcionários da capina eram 14, saíram 7, entraram 10 e agora são 5. (?) Cinco? Como assim? Essa conta não fecha: 14-7+10=5. Ou alguém faltou às aulas de matemática ou a tabuada em Caçapava é diferente!
RESÍDUOS – O vereador Pirola (PP) tem uma visão bem realista sobre o processo de reciclagem em Caçapava do Sul. Pirola lembrou que sua esposa participou anteriormente do projeto e sabe que o processo é muito complicado. Falta dinheiro para manter o projeto, e dificuldade em unir os catadores são alguns pontos que levam ao fracasso do mesmo. Eles preferem trabalhar por conta e fazem grandes depósitos em plena zona urbana e isso deveria ser proibido, disse.
PONTO FINAL – Preparem-se, a vereadora Márcia Gervásio (PDT) está “quebrando a casquinha daquilo” e a coisa pode começar a feder de novo. Márcia fez pedido de informação para saber “daqueles” itens doados pela Receita Federal que já deram o que falar em rede nacional.

Luís Carlos Machado

Jornalista MTE 18.013/RS Graduado em Marketing

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios