BrasilCaçapava do SulDestaqueGeralPolíciaRegiãoTrânsito

Caçapavano é nomeado novo diretor do Denatran

O gaúcho Jerry Adriane Dias Rodrigues sempre esteve ligado às questões de segurança viária

Conforme o site estradas.com.br o inspetor da Polícia Rodoviária federal (PRF), Jerry Adriane Dias Rodrigues, natural de Caçapava do Sul (RS), foi nomeado como novo diretor geral do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) em substituição a Maurício José Alves Pereira.

Jerry Adriane foi apresentado como novo diretor, nesta segunda-feira (7), durante a posse do novo Secretário Nacional de Transportes Terrestres do Ministério da Infraestrutura, General da Reserva, Jamil Megid Júnior.

O novo diretor terá em sua equipe alguns nomes conhecidos no setor, como: Pedro Souza, da PRF; Francisco Garonce, que volta ao posto de onde saiu em 2018 para ser comentarista de segurança em um programa de TV; Eduardo Sanches, Daniel Mariz e Carlos Magno, que atuarão nas coordenações gerais.

O gaúcho é casado e pai de três filhas. Começou sua carreira em 1994, na Polícia Rodoviária Federal, no Rio Grande do Sul, chegando ao posto de Superintendente Regional da corporação, em 2012. Antes, ocupou a chefia da Divisão de Multas e Penalidades do Departamento da Polícia Rodoviária Federal (DPRF), em Brasília, onde reside.

Jerry Adriane também foi membro do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e estava atualmente como assessor parlamentar da Frente Parlamentar do Trânsito Seguro, presidida pelo deputado federal Hugo Leal, conhecido por ser o autor da Lei Seca.

A notícia da nomeação repercutiu muito bem entre os especialistas. Considerado homem íntegro e muito competente, o novo Diretor Geral do Denatran também é muito próximo das entidades de vítimas de trânsito.

Para o Coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, a nomeação de Rodrigues e o nível da equipe que vai compor o órgão é um sinal de que o Governo está no caminho certo. “Sua atuação como PRF, como assessor no Parlamento e no Contran é muito respeitada. Além disso conhece de perto o drama das vítimas. Agora é fundamental que o Governo dê condições ao órgão de trabalhar, não contingenciando os recursos como faziam os governos anteriores.”, acrescenta Rizzotto.

Deixe uma resposta

Veja Também

Fechar
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios