Caçapava do SulPolíticaRural

Caçapava do Sul decreta situação de emergência devido estiagem

 

A Prefeitura Municipal de Caçapava do Sul Decretou na última segunda-feira (12) Situação de Emergência na Área Rural do Município em razão da estiagem, seguindo o exemplo de mais de 20 cidades do Estado que se encontram sem água para consumo humano e de animal, além de abastecimento para a produção ans lavouras.

Na semana passada, o prefeito Giovani Amestoy se reuniu com os Secretários Marcelo Freitas (Seagropic), Paulo Henriques (Obras), Michele Mendes (adjunto Geral) além do coordenador da Defesa Civil (Gilnei Marques) e vereador Paulo Pereira para discutir o Decreto de Situação de Emergência e solicitar o levantamento do prejuízo no município.

No decreto (3974), os baixos índices de precipitação pluviométrica nos meses de novembro e dezembro de 2017, e que agravaram ainda mais no início deste ano, a Secretaria de Assistência Social informou que mais de 520 famílias foram afetadas e estão com o abastecimento de água comprometido, necessitando de ajuda humanitária, e que tem recebido auxílio da Prefeitura que tem levado água a estes locais.

A Secretaria de Agropecuária, Indústria e Comércio, que desde o início do ano (após a compra de um tanque de 250l) auxilia na condução de água à zona rural, informou que já foram transportados, com o Auxílio da Corsan, quase 223 mil litros de água.

Segundo a Emater, que também enviou relatório à Prefeitura, conforme solicitação, as perdas nas culturas de soja, milho, feijão, frutas, verduras e legumes, além do prejuízo na pecuária na criação de gado de corte e leiteiro, são expressivos, ultrapassando R$28 milhões.

Conforme o laudo técnico da Tritícola Caçapavana LTDA, uma das maiores produtoras de grãos do município, a produção estimada em outubro de 2017, de 69 mil toneladas de grãos, não se confirmará e deve ser de metade: 34.500t.

De acordo com o relatório da Defesa Civil do Município, localidades como Rincão da Salete, de Lourdes, Godinhos, Tarumã, Bitencourt, Vieiras; Segredo, Patronato, Picada Grande, Colônia de Santa Tereza, Santa Bárbara, Caieiras, Santa Barbinha, Vila Pereirinha, Coxilha São José e faxinal são as principais áreas atingidas.

ESTADO

Mais de 20 cidades do Rio Grande do Sul decretaram situação de Emergência, destas algumas como Cristal, Candiota e Hulha Negra, Bagé já tiveram os Decretos reconhecidos, mas ainda não receberam os recursos Federais como cestas básicas, caminhão para distribuição de água, e verba para custeio de combustiveis destes maquinários.

De acordo com a Emater, prejuizos na área afetada pela estiagem chegam a R$1 bilhão, sendo destes R$600 milhões na Região Sul do Estado e R$300 milhões no Centro-sul, e R$100 milhões na região da Campanha, onde está localizada Caçapava.

DECRETO

Além dos recursos destinados via governo Federal aos Municípios atingido e que tiverem seus pedidos homologados, pessoas físicas e jurídicas que comprovarem as perdas podem fazer uso do FGTS, familiares que vivem do agronegócio e que foram atingidas, além de empresas, podem solicitar renegociação de dívidas e prazos de pagamentos fixados em insumos para o campo ou maquinário entre outros.

Deixe uma resposta

Fechar