ColunistasLavras do Sul

  Bancos!!!

Chico Lopes - Lavras do Sul

 

Era ano de 2007, Mês de Janeiro , eu plantava uma horta orgânica que era a menina dos meus olhos, nem veneno para formiga eu usava para não ter nada químico na minha terra. Vinha enfrentando dificuldade para entregar meus produtos nos mercados que não queriam ir buscá-lo na estufa, eu perdia espaço para os vendedores de outras cidades  que paravam seus caminhões na porta da empresa.Resolvi comprar um pequena caminhonete , fui pesquisar preços, constatei que meu dinheiro era pouco , precisaria de um empréstimo bancário. Fui procurar, o que melhor me pareceu foi o do Banco do Brasil, que nunca fez jus ao nome pelo menos na minha opinião. Fui conversar com o gerente e ele que se chamava Maurício  me disse que tinha que fazer seguro. Eu disse que não cabia na arrecadação  da empresa( horta) já que aquele veículo deveria ser pago somente com o arrecadado pela produção, não podia mexer no meu salário para pagá-lo . Tentei o negócio sem seguro mas ele foi irredutível e eu também, desisti da compra. Uma semana depois, aparece no meu trabalho, Cbem( Centro de Bem Estar  do Menor) onde estive diretor por alguns anos , uma funcionária do Banco referido , na cidade conhecida por Jô, levando recado do gerente . O banco iria financiar o veículo para mim sem o seguro. Na hora fui a agência e assinei tudo sendo que tive que abrir uma conta na agência onde depositaria todo Mês o valor da prestação. Passaram-se os meses e eu sempre depositava algo a mais, a arrecadação das vendas diárias e pensava ter um bom valor na poupança para melhorar  a  caminhonete num prazo que havia estipulado. Para minha surpresa, um belo dia , estava em Bagé, com minha mãe que estava doente em estado terminal,pensei comigo que tinha para gastar, todas as economias e mais o limite da conta que nunca tinha gasto  pensando ter um bom valor , se fosse preciso, e estava sendo, eu poderia dispor daquela conta. Mais ou menos 3.500. 00  pelo controle mental que tinha já que nem extrato puxava para não saber, não queria gastar aquele dinheirinho tão suado, não contava com ele. Saímos, eu e minha irmã para almoçar. Hora de pagar o almoço, passo o cartão do Banco do Brasil e a maquina avisa que o saldo era insuficiente. Não pode pensei, tenho dinheiro, isso é problema no cartão. Paguei com cartão do Banrisul, onde recebo meu salário de funcionário público municipal. Liguei para o Banco do Brasil em Lavras , falai com meu amigo Ricardo, expliquei o ocorrido, ao que ele respondeu: Vou pedir para o funcionário ” fulano ” verificar  e te retorno. No outro dia, sem o retorno prometido eu ligo novamente para a agência. A mesma promessa, vou pedir ao “fulano” verificar e te retorno. Terceiro dia, nada do retorno, eu ligo novamente. Então , o ” fulano ” me diz que eu  estou sem limite, que minha conta foi bloqueada porque estou no SPC, negativado pela  loja Obino.  Fui ma loja em Bagé mesmo, ele tinha razão, uma prestação de 7,28 centavos que eu havia esquecido de pagar. Paguei, a conta voltou ao normal, segui pagando minha Fiorino , preciosa parceira de trabalho. Minha Mãe, desencarnou ( veio a falecer) dois dias depois. Para minha surpresa vinte dias depois estou no meu trabalho e toca meu telefone, era da BB seguradora, uma moça me cobrando o seguro da caminhonete, estava faltando dinheiro na minha conta. Engano seu moça respondi, eu só comprei esta caminhonete porque o gerente Maurício me prometeu que seria sem seguro. Seu João disse a moça muito gentil, procure sua agencia e veja sua apólice  assinada por favor!

Fui até a agência, e lá estava a apólice assinada, o gerente certamente colocou -a no meio daquela papelada toda e eu babaca sem ler só fui assinando, confiei na palavra de um safado e desleal. Fui no outro Banco, tirei o dinheiro e paguei o que faltava cancelando  o de futuro. Mas minha poupança, o Banco tinha levado , eu tinha sido duplamente vítima, da minha babaquice, ou boa fé , e da desonestidade de um gerente mal intencionado. Após o sepultamento do corpo de minha mãe, peguei o Atestado de óbito, fui ao Banco do Brasil, saquei seu benefício , entreguei a cópia do mesmo atestado, pequei o recebido, encerrei a conta. Onze meses depois, eu trabalhava na minha horta quando toca meu telefone. Alô, quem fala ? Seu Chico, aqui é do Banco do Brasil, para dizer-lhe que está faltando dinheiro na conta da sua mãe, Dona Iara ! Já vou ai respondi: Peguei em casa a cópia do Atestado de óbito, com o recebido da mesma pessoa que hora me ligava e fui ao banco resolver a questão . Todos reconheceram que estava errado inclusive o gerente que já era outro aparentemente responsável desta vez. Ano de 2016 , precisei de um valor que não tinha, resolvi fazer um empréstimo pela ASMLS ( Associação dos Servidores Municipais de Lavras do Sul ) Os juros são mais baixos. O funcionário Fabrício do Banrisul que me atendeu me disse: Esse juro mais baixo, só pode ser praticado para quem compra produtos do Banco . Mas não posso comprar nada, não quero e não posso lhe disse! Mas então não posso praticar este juro com o senhor disse ele. Pensei na minha neta, ele havia me oferecido um título de capitalização, parcela menor 40 ,00…! Faço uma poupança com esse dinheiro no final…??? Por quanto tempo? Pelo tempo do empréstimo, ou seja, 24 vezes, disse ele. Ok, respondi vou fazer. Ano passado, 2017 , fui ver quanto tempo ainda tinha para pagar do empréstimo e do Título de capitalização. Do empréstimo, tanto meses disse-me o mesmo funcionário , do título até 2023 já que são mais de 80 meses. Não, respondi, o título é o mesmo tempo do empréstimo respondi surpreso e irritado. O senhor assinou até 2023 ele diz. Mas você me disse que seria o mesmo tempo do empréstimo!!!!! Se o senhor quiser até pode rescindir contrato antes. Final de Maio de 2018 acabei de pagar o empréstimo,  hoje , dia 11 de Junho fui ao banco onde fui atendido por uma funcionária chamada Fabíola, extremamente educada  que ligou para a central do Banco para interromper o meu título de capitalização. Passou o telefone para uma atendente de lá que após o tradicional interrogatório  me disse: Seu João, o senhor pagou ao todo 1027,00 mas só receberá 60% deste valor. Comooooooooooooo ???? O que é isso??????? É contratual, o senhor assinou até 2023 interrompeu agora  só recebe este valor. Moça, isso é roubo eu disse!!! Senhor, o senhor deve reclamar com quem lhe vendeu este produto.O funcionário não está mais na agência, procurei falar com o gerente que não pode me atender, estava atarefado mas com que falarei ainda sem sombra de dúvida. Dizer a ele, que a instituição bancária que ele dirige, para mim esta representada no funcionário desonesto e desleal que me atendeu, assim como  eu represento a prefeitura para quem eu atendo. O povo brasileiro não tem mais para onde fugir, o desonestidade é prevista em lei, por isso que os bancos, todos eles aplaudem a política econômica do Governo, são parceiros na exploração do Zé povinho . Estou escrevendo isso, não para legislar em causa própria, é um alerta que faço para que todas as pessoas que por ventura , praticarem a caridade de ler os meus escritos, se, por acaso precisarem de dinheiro bancário , leiam muito bem os contratos antes de assinarem, para não serem  lesados como eu fui, para que não confiem em funcionários de agências bancárias porque eles não são parceiros de quem lhe procura e sim da instituição que representam . Todos os dias temos pessoas se queixando dos bancos mas que assim como eu se queixam , choram , lamentam mas não vão a justiça buscar seus direitos. Enquanto isso, os bancos são campeões de lucros as custas do povo apertado, endividado, que faz um empréstimo muitas vezes para pagar outro e na ânsia de pegar aquele dinheirinho e se livrar  das dívidas nem lê o que assina,até porque , as coisas já são feitas para que a gente não leia mesmo, são muitas folhas e letras minúsculas , talvez faça parte da estratégia.

Deixe uma resposta

Fechar